Sabia que a forma como o cliente se comporta durante a jornada de compra está em constante mudança? Por isso, se as vendas não estão indo muito bem, talvez você esteja apostando suas fichas, ou melhor, seu dinheiro, em estratégias que não condizem com as tendências de comportamento do consumidor.

Para evitar esse tipo de erro que pode custar a vida do seu negócio , conhecer tais tendências é fundamental. Apenas assim será possível criar meios adequados para oferecer seu produto de acordo com o que o cliente realmente deseja, não com o que você acha que ele precisa. Afinal, tudo que pode interferir nas vendas deve ser tratado como assunto sério e não deixar espaço para suposições.

Pensando nisso, listamos 7 tendências atuais de comportamento do consumidor que você precisa conhecer. Continue a leitura e fique por dentro!

1. Compras mobile são cada vez mais comuns

Não é novidade para ninguém que cada vez mais estamos usando os smartphones para fazer tarefas do dia a dia. Por isso, não é de se espantar que eles já estão se consolidando como a ferramenta preferida na hora de fazer compras. Prova disso é que 73% das pessoas já realizaram uma compra pelo dispositivo.

Essa talvez seja uma das principais tendências de comportamento do consumidor, pois ela deverá moldar toda a sua estratégia de marketing digital. Portanto, não basta mais estar presente no mundo online, achando que a interação com a sua marca acontecerá apenas por meio de um computador. Agora você está, literalmente, na palma das mãos dos clientes!

Os estudiosos do tema já criaram até mesmo um novo conceito para essa tendência: o m-commerce (comércio mobile), em substituição ao já conhecido e-commerce (comércio eletrônico). Por isso, pense sempre mobile!

2. Menos virou mais

As gerações mais novas, como a Millenial (ou geração Y, nascidos após 1985), vêm mudando seu estilo de vida e deixando-o mais clean, evitando o consumo exagerado e desnecessário que as gerações anteriores tanto prezavam.

Isso não significa que há a intenção de parar de comprar, mas, sim, que o consumo deve ser consciente, sustentável e que a relação de compra se dará com as marcas que compartilharem desses mesmos propósitos e atenderem a esses valores.

3. Aluguel não é um problema

Seguindo a tendência de menos é mais, o desapego ao que é desnecessário ou que não condiz com os valores do consumidor permite um estilo de vida mais livre. Assim, a nova geração prefere acumular experiências em vez de acumular objetos.

Isso pode ser facilmente compreendido quando nota-se que eles preferem usar serviços por assinatura, como o Netflix, que pode ser cancelado a qualquer momento. Também pode ser notado na mudança de visão sobre morar de aluguel, que já não é mais visto como um problema, uma vez que garante liberdade.

Por isso, muito além da utilidade final do objeto da compra, a escolha será por aquele produto ou serviço que oferecer a melhor experiência, mesmo que não seja o mais barato.

4. Empreendedorismo é para todos 

As mudanças no estilo de vida também acabam refletindo na forma como essas novas gerações escolhem trabalhar. O home office, ou trabalho remoto, já é uma realidade que as empresas começam a se adaptar, ainda que lentamente.

Além disso, cada vez mais aumenta o número de autônomos e daqueles que resolvem empreender e apostar no seu próprio negócio. Há menos medo de se arriscar e sabe-se que o futuro é dos empreendedores. 

5. Consumidor se tornou um detetive

Outra das tendências de comportamento do consumidor é que, antes de escolher o que e onde comprar, ele está pesquisando cada vez mais — e encontrando muito além das informações cedidas nos canais oficiais das marcas pesquisadas.

Além da tradicional pesquisa no Google, em que, na maioria das vezes, acaba acessando sites como Reclame Aqui, ele também busca opiniões no YouTube e em outras redes sociais. Isso mostra que cada vez mais desconfia dos discursos das empresas e prefere conhecer opiniões reais de outros consumidores.

6. Amor pela marca é reforçado

Tamanha desconfiança antes de realizar uma compra reforça o amor pela marca que surge quando o consumidor encontra um produto ou serviço que proporcione exatamente aquilo que busca.

Mas lembre-se que não estamos falando apenas da finalidade do objeto, mas, sim, do valor agregado, como experiências proporcionadas e valores em comum. Quando isso acontece, a identificação é certa e a empresa ganha mais que um cliente: ganha um defensor. Afinal, foi um processo minucioso de escolha.

Tal conexão precisa ser nutrida e o cliente jamais deve ser abandonado após a compra, já que isso pode causar mais problemas para a empresa do que se nunca tivesse correspondido inicialmente às expectativas. Por isso, é muito importante apostar na construção de relacionamento.

7. Individualidade é uma coisa boa

Por fim, trazemos a última entre as tendências de comportamento do consumidor que merecem destaque aqui. Trata-se da personalização e da autenticidade atrelada ao produto ou ao serviço.

A identificação com a marca vai muito além dos valores e do propósito. É preciso oferecer exclusividade, para tornar a experiência tão almejada em algo único e merecedor de ser compartilhado, inclusive nas redes sociais. Todos esses adjetivos podem dar a ideia de que entregar uma experiência única ao cliente é trabalhoso e caro para a empresa.

Mas, na verdade, esse desejo por personalização pode ser suprido nos detalhes, como a escolha da embalagem ou de uma estampa. Coisas assim já são suficientes para mostrar ao público que a marca não o enxerga como se fossem todos iguais e que se preocupa em satisfazer as individualidades de cada um. 

Viu como os clientes têm muitas demandas que vão além do básico que já é oferecido? É importante estudar essas tendências e acompanhá-las para saber quais serão seus desdobramentos no mercado.

Como medir o comportamento

Agora que você já sabe as novidades sobre o comportamento do consumidor e como isso é importante para o seu negócio, deve estar se perguntando como descobrir as preferências do seu público e mensurar tudo isso, não é mesmo?

É possível medir esse comportamento usando ferramentas específicas, já que, como dissemos no início do texto, esse é um assunto que pode interferir nos resultados da empresa e não há espaço para suposições. Além das tradicionais pesquisas, você também pode utilizar programas e aplicativos que fornecerão dados sobre os hábitos do consumidor para que você planeje as estratégias mais adequadas.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de curtir a nossa página no Facebook e continuar por dentro das tendências de comportamento do consumidor que você precisa conhecer para fazer sua empresa crescer cada vez mais!

Escreva um comentário

Share This