No universo corporativo, um controle de estoque eficiente é fundamental para otimizar e integrar os processos necessários ao gerenciamento dos demais setores da empresa, de forma dinâmica e organizada. Para o comércio varejista, não focar nesses cuidados pode comprometer o futuro dos negócios.

A gestão de estoque é o ponto de partida para garantir o equilíbrio das compras, a armazenagem dos produtos e a eficácia nos serviços de entrega. São fatores essenciais ao controle final do fluxo de vendas e que influenciam diretamente a conquista e a fidelização de clientes.

Neste artigo, listamos os principais erros a serem evitados no controle de estoque para assegurar o bom desempenho da sua organização e maximizar a lucratividade. Boa leitura!

Não investir em inovações tecnológicas

Na atualidade, utilizar os recursos disponíveis para modernizar a empresa e torná-la mais atrativa é um importante passo rumo ao sucesso do empreendimento. Para manter a continuidade dos negócios, é necessário apostar na tecnologia quanto antes, a fim de acelerar os processos e enfrentar a concorrência com chances reais de vencê-la.

Assim como as demais áreas da empresa, o setor de estoque não é diferente: utilizar recursos tecnológicos é uma maneira bastante eficaz de manter um acervo eficiente, organizado e dinâmico. Tal ação é necessária para a redução de prejuízos e para a otimização dos setores, por meio da boa interação entre equipes.

A utilização de softwares específicos para controle de estoque sinaliza maior organização e gerenciamento das funções: as mercadorias serão cadastradas de uma única vez, e a entrada e saída desses itens terão acompanhamento adequado. Tais ações são essenciais para reduzir tempo e esforço e para aumentar o controle e a segurança das informações.

Não reduzir a compra de produtos com baixa saída

Adquirir tipos de mercadorias com baixa saída é um dos erros que mais afetam a gestão de estoque. O problema piora no cenário de crise econômica, em que é preciso equilibrar as finanças para fugir dos prejuízos.

Muitos gestores gostam de ter esses produtos em estoque por acreditarem que a falta deles pode resultar em perda de vendas ou até mesmo de clientes. Entretanto, a empresa deve priorizar investimentos e manter o foco em produtos mais lucrativos e que possuem maior liquidez.

É crucial parar de comprar mais itens que o necessário para evitar a diminuição do capital de giro. Tal medida é importante para aproveitar o investimento na compra de mercadorias que vendem mais e garantir um balanço positivo.

Outro problema é que mercadorias que têm baixa saída ocupam um espaço valioso, comprometem a organização das prateleiras e, às vezes, geram retrabalho para os funcionários — no caso de itens perecíveis, é necessário observar a condição dos produtos e o prazo de validade.

Não completar as informações importantes

Mesmo se estiver com pressa ou mediante algum imprevisto, o colaborador deve ser orientado a não deixar informações incompletas. Muitos cometem esse erro pensando que, posteriormente, completarão os dados e que tudo estará resolvido.

Porém, os problemas que surgem por consequência dessa prática têm mostrado outra realidade: trata-se de um dos piores erros, pois compromete diretamente a gestão de estoque devido à falta de informações que, por sua vez, afeta o controle dos produtos.

Ainda pode ocorrer o hábito de anotar informações em pedaços de papel ou em bloquinhos para depois transferi-las ao sistema. Essa prática é prejudicial ao processo de controle, já que o colaborador pode esquecer de atualizar a informação ou até mesmo perder o papel em que havia feito os registros.

Os gestores precisam acompanhar de perto o controle de estoque, a fim de identificar esses erros, evitar futuras falhas na emissão de documentos fiscais e manter a integração com outros setores da empresa. Também é crucial transmitir aos colaboradores a importância de fazer os registros e de trocar informações constantemente.

Não atualizar a entrada e a saída de produtos

A boa gestão de estoque mantém como prioridade um controle preciso dos produtos que estão disponíveis no acervo. É importante fazer o adequado gerenciamento da quantidade dos itens conforme suas características, especificidades, cores, volumes, e outros aspectos considerados relevantes em termos de organização.

Tal prática é fundamental para determinar a confiabilidade do inventário mediante o que se espera vender em um certo período, além de garantir o efetivo controle de estoque no que se refere aos pedidos futuros.

Entradas e saídas desatualizadas ocasionam problemas, como a falta de produtos que vendem mais, o que pode gerar falhas nas suas estratégias de vendas. A falta de registro desses processos também pode gerar acúmulo de itens de pouca rotatividade, fazendo com que o risco de comprá-los sem necessidade seja maior.

Para evitar esses desajustes, é necessário um controle assertivo das mercadorias que entram e saem do depósito. Desenvolver o hábito de manter a eficiência e a organização é imprescindível para assegurar a qualidade nos serviços e fortalecer setores que são essenciais ao crescimento da empresa.

Não ter um bom relacionamento com os fornecedores

Diante da competitividade atual, manter um bom relacionamento com seus fornecedores e torná-los seus aliados é tão importante quanto estar próximo dos consumidores. Essa premissa é tão verdadeira que, no universo corporativo, poder contar com parceiros diferenciados pode salvar o negócio em condições difíceis.

São os fornecedores que mantêm o seu depósito abastecido ou que enviam, em uma situação de emergência, algum produto necessário ou importante para o atendimento a um cliente especial ou fiel à sua marca.

Manter uma comunicação sólida, ser idôneo em todos os processos de venda e reduzir o tempo de entrega são fatores favoráveis ao bom andamento dos negócios. Portanto, procure se relacionar com parceiros que apresentem essas características e que honrem seus compromissos.

Nessa conjectura, a liderança precisa, dentre outras questões, valorizar a interação com os parceiros e definir condutas que estabeleçam uma relação de confiança e que resultem em melhor controle de estoque. No cenário atual, tais aspectos são cruciais ao fortalecimento da marca e ao crescimento da empresa.

As informações foram úteis para você? Teria alguma sugestão ou opinião sobre o assunto? Deixe seu comentário e participe de nosso artigo!

Escreva um comentário

Share This